Shankara -breathing- : Entrevista Kyo

"Reproduzir “UROBOROS” pela primeira vez foi uma oportunidade muito esperada.
Eu realmente queria dar 120% de mim e faze-los dizer "O que diabos é essa pessoa!?"."


-- Primeiramente, Kyo-san é o tipo de pessoa que fica nervoso em shows?

Kyo: Eu não fico realmente nervoso. Mesmo no Osaka-jo eu não estava nem um pouco nervoso.

--Entretanto, você sentiu que era algo diferente do normal, certo?

Kyo: Certamente. É tambem um fato, já que estamos reproduzindo todas as músicas de “UROBOROS” e tambem porque tocaremos as 3 músicas que são a alma do album. Como eles dizem, é diferente de estar nervoso mas foi um show que exigiu muita concentração. Tambem, pra mim, eu queria desafiar aquilo em perfeitas condições, mas infelizmente não foi possivel... Havia muitas coisas que eu precisava manter em mente e essa foi a única coisa em que eu não consegui me manter focado...

--Apenas confirmando, as 3 músicas são “VINUSKHA”, “INCONVENIENT IDEAL” e…?

Kyo: Sim. E “Ware, Yami tote…”. Eu não sei se dizer que elas são a "alma" é aceitavel e não é como se as outras músicas tivessem significados diferentes desses. Bem, é como se se essas músicas são as que fazem “UROBOROS” ser o que é. Eu acredito que essas 3 músicas comparadas com as demais são mais fortes nesse sentido.

--Não se limitando apenas a essas 3 músicas, se você cometer um pequeno erro então tudo totalizará "nada".

Kyo: Eu não me importo se tudo totalizar nada(risos), mas de qualquer forma dessa vez... era como se eu quisesse cantar da maneira como imaginei, emocionalmente. Não é sobre cantar bem, Eu estava focado em termos de sentimento desde a performance em Yokohama BLITZ….

-- É possivel que você tenha se concentrado demais?

Kyo: Eu não acho, honestamente, as condições da minha garganta estavam bem ruins. Era meio arriscado. Bem, já que eu fiz tudo que podia, eu quero dizer que não quero ter nenhum arrependimento...mas foi frustrante de qualquer jeito (risos).

--Querendo cantar à sua própria disposição. Isso significa que você não queria escapar de algo do tipo " está tudo bem desde que você seja você mesmo no dia"?

Kyo: É sempre o mesmo caso. No dia do show do Osaka-jo Hall, eu pensei que haveria muitas pessoas vendo a gente pela primeira vez. E é claro que eu pensei que aquelas pessoas que ouviram UROBOROS estariam pensando " ele pode mesmo cantar isso?". E não é tambem, uma tão esperada oportunidade de reproduzir UROBOROS para todas essas pessoas que irão nos ver pela primeira vez? É por isso que para mim, eu quis dar 120% de mim e queria que eles dissessem "O que diabos é essa pessoa!?". Bem, para os fãs que já vieram a diversos shows, acredito que eles entendem mesmo que eu não diga nada... E, mesmo eu me focando nisso, as condições da minha garganta estavam piores.

--Honestamente, teve um momento em que me senti frustrado quando estava olhando para o palco. Mas não era arrependimento.

Kyo: Estava muito ruim durante os ensaios. Eu melhorei um pouco depois disso e estava ok durante a apresentação. Durante os ensaios eu pensei "eu estou acabado" (risos).

--Bem ou mal, era uma apresentação dificil.

Kyo: Alem disso, não importa qual tipo de conflito/dificuldade seja, o show progride sem mudar certo? Eu tambem preciso me concentrar nisso. Em todo caso, havia muitas coisas em que eu precisava pensar a respeito, e bem mais do que o normal. Enquanto eu odeio estar preso a isso, as coisas que eu preciso pensar surgem uma atras da outra, e o show continua... E, quando eu percebo, tornou-se um dos 5 piores shows de 2008.

--Woah! Dizer dessa forma (precisa ser tão direto?).

Kyo: Sim. Os shows anteriores foram até que muito bons mas, Osaka-jo foi… Bem, pode ser que tenha sido dessa forma porque eu queria que fosse grandioso. Pode ser que é porque me sinto arrependido que minha garganta estivesse ruim no dia, mesmo eu fazendo tudo que podia. Mesmo quando há coisas que você não pode fazer nada a respeito, dizendo claramente, não é asim mesmo minha responsabilidade? É por isso que eu meio que odiei.

--Então você quer dizer que isso não se aplica comparado aos demais shows, mas sim ao nivel de satisfação que você tem com relação ao ideal que você imaginou, ficou entre os 5 piores.

Kyo: Correto. Pareceu realmente terrivel(risos). Durantes os 3 shows na Yokohama BLITZ, eu recebi uma carta de um fã. Se eu me lmebro bem do conteudo era sobre o segundo dia... bem... resumindo dizia "você é horrivel" (risos). Dizia coisas do tipo, mesmo se você enganar os fãs estrangeiros, não vai me enganar. Mas tambem me encorajou com coisas do tipo "Mais!", "Fazer mais depende de você". Quando eu li aquilo, eu não fiquei aborrecido. Já era deprimente. Porque as pessoas que me conhecem e sabem que seria definitivamente impossivel para mim negligenciar fãs que vieram e me assistiram diversas vezes e me mandaram cartas, se sentiam assim certo? Claro, que eu não "pego atalhos" só porque estou no exterior, e mesmo na BLITZ ou no Osaka-jo eu coloquei pra fora toda força que eu tinha naquele dia. Fora isso, se eu não consigo nem mesmo comunicar que eu estou fazendo tudo o que posso com todas as minhas forças, então honestamente eu penso "o que diabos eu estou fazendo?". Por isso que eu acho que dar 100% de mim no Osaka-jo não foi suficiente. Por causa dessas circunstâncias, tudo pareceu ainda pior.

-- Como consequência, a distância a percorrer para "se redimir" aumentou.

Kyo: Sim. E eu realmente quero me redimir.

--Falando nisso, sobre o show em si no Osaka-jo Hall. Os videos para cada música de “UROBOROS” eram espetaculares. Para você Kyo-san, durante o show, você estava ciente de em qual cena você estava em cada momento?

Kyo: Não, eu estava completamente distraido quanto a isso. Eu não penso muito sobre tais coisas. Claro que eu chequei os videos e disse o que estava errado e o que eu queria, mas não pensei em como ficaria quando eu estivesse no palco. Embora eu pense se é importante para dar clima à atmosfera, fora isso... No fim , não importa a coreografia envolvida, só posso fazer aquilo que posso fazer. Incluindo aquele tipo de coreografia, eu não acho que existam muitas pessoas que achem que o Osaka-jo não foi tão bom, honestamente. Mas, quando você realmente olha pra isso, mesmo se fosse o caso, pra mim não é o bastante. Se eles estavam satisfeitos com aquilo, e se eu dei 120% de mim, então eu acho que deveria ter saido algo melhor. Por isso é muito frustrante.

--Não importa o que eu pergunto, o tópico da conversa volta para esse assunto(risos).

Kyo: É, realmente(risos). Quando os 3 dias da Yokohama BLITZ foram formados, as pessoas me perguntavam "sua garganta está ok?". Bem, se eu fosse levar em consideração as turnês que viriam pela frente eu não poderia dizer que " 3 dias de shows seguidos é impossivel" então eu só dizia "ok". Mas,eu imagino porque eu quebrei aquele timing(risos). Dois dias depois daqueles 3 dias de show eu não conseguia falar. Mesmo indo ao hospital, os médicos apenas me diziam "Não fale!!" (risos). Sério, eu pensei, "porque esse dia dentre todos os dias?".

--Como se, porque Deus escolheu justamente esse dia.

Kyo: Sim, sim. Bem, mas eu não rezo pela ajuda de Deus(risos).

--Vamos voltar a falar do show em si. O que foi impressionante pra mim, enquanto o ponto central do show era “UROBOROS”, a existência de músicas do passado foram revividas ao máximo. Foi como um testemunho de que o passado e o presente não estão de fato divididos.

Kyo: Correto. Eu acredito que o alcance musical e profundidade de cada album é bem diferente e num show, é uma mistura inesperada. De agora em diante, começando por essas 3 músicas, eu imagino se as músicas de “UROBOROS” continuarão mudando.

--Para constar, em 2009 vocês abrirão o ano com uma turnê nacional repentina.

Kyo: Na verdade, eu tenho dito isso ha anos " me deixe ir a lugares que nunca fui!" (risos). " Eu não ligo se o local é pequeno, qualquer coisa está ótimo então deixe-nos fazer isso!"

--Nas turnês dos ultimos anos, apresentações em Aomori ou Miyazaki etc. foram incluidas repentinamente.

Kyo: Sim, sim. É porque senão iriamos realmente reclamar a respeito(risos). Em termos de companhias, eu acredito que eles agendem as coisas em lugares que não iremos contrariados. De fato, se nós formos apenas em locais com capacidade para 300 pessoas, então matematicamente isso jamais seria um bônus. Mas é como se, não relacionado com essa circunstância, nós queremos nos apresentar para pessoas que nunca nos viram, não importa se é um lugar grande ou pequeno, e nós queremos realizar mais e mais. Honestamente não tem nada haver com a proximidade do palco.

--De certa forma, é bem próximo do que vocês colocam em prática na América e em outros lugares.

Kyo: Sim. Viajar tambem será de ônibus. Não é como se tivessemos o pensamento de que só porque é no Japão que temos que fazer à maneira japonesa, ou só porque é no exterior temos que fazer como no exterior.

--O ano de 2009 parece ter um número de shows que ultrapassa os de 2007.

Kyo: Vai ultrapassar completamente(risos). Se for esse o caso então cuidar da minha garganta será ainda mais dificil. Recentemente aguentar 2 dias sem falar me deixou tão cansado que eu pensei " eu não sabia que não falar era tão cansativo!" (risos). E quanto ao numero de shows aumentar...bem.. Acho que está tudo bem (risos).

--Comparando com o stress de não conseguir dar 120% de si, o stress não poder falar ainda é aceitavel.

Kyo: Sim. Exatamente. Eu fiquei realmente frustrado no Osaka-jo. Mas, enfim, não posso fazer nada a respeito. É como se o nivel minimo para se ficar satisfeito aumentou, ou, foi aumentado por nós.

Créditos: Orchestrated Chaos
Tradução: DIR EN GREY Brasil


Por Aiko

1 comentários:

Akio | 11 de janeiro de 2011 15:14

Coitado xD mó sentimento de culpa

Postar um comentário